DIASTASE RETO ABDOMINAL


Mais comum em mulheres que tiveram múltiplas gravidez, causando repetidos estiramentos dos músculos, a diástase reto abdominal é uma separação da linha média (linha alba) dos músculos reto da parede abdominal. É uma abertura da linha média, no abdome, palpável de mais de 2,5 cm, ou qualquer abaulamento visível durante esforço é considerado como uma diástase. valeria-figueiredo-cursos-diastase-abdominal A diástase reto abdominal comumente ocorre ao redor do umbigo, mas pode ocorrer em qualquer lugar entre o processo xifoide e o osso púbico. Isso ocorre devido a uma fraqueza da musculatura abdominal junto com alterações hormonais maternas e aumento da tensão na parede abdominal pelo útero crescente. A diástase reto abdominal pode ocorrer em diferentes graus durante a gravidez e pode não resolver-se espontaneamente no período pós-parto. Esta separação do músculo reto abdominal pode causar uma série de problemas. Sem a estabilização dinâmica que os músculos abdominais fornecem, a fraqueza na parede abdominal pode comprometer a estabilidade corporal e a mobilidade, contribuindo para o aparecimento de dor nas costas, comprometendo a postura, além de problemas estéticos. As dores na lombar ou na região pélvica são as manifestações mais comuns de uma diástase reto abdominal. Como ocorre uma perda de efetividade nas transferências de forças, uma mãe somente deve voltar a praticar esportes após um tratamento efetivo. Isso se deve porque se iniciarmos nestas atividades sem estar com estratégias corporais adequadas para a função, a preservação da continência, apoio dos órgãos e da respiração, fatalmente ocorrerão outros tipos de lesões e, muitas vezes, estas lesões não serão relacionadas com a diástase. A ultrassonografia (em tempo real) é um método preciso para medir a diástase. No entanto, um profissional de saúde pode realizar um teste de palpação rápido para avaliar a diástase. Uma elevação da cabeça e dos ombros até as escápulas vai exigir uma contração músculo reto abdominal, e permitirá a avaliação da diástase. Caso você tenha o diagnóstico de diástase, é preciso tomar algumas precauções durante a pratica de exercícios e outras atividades. Tratamento O tratamento deve ser realizado com exercícios terapêuticos específicos, dirigidos por um Fisioterapeuta ou profissional de saúde bem familiarizado com diástase reto abdominal. Tais exercícios visam o fortalecimento dos músculos profundos do core, como o transverso do abdome e os músculos do assoalho pélvico. Exercícios abdominais mal executados podem causar um aumento na pressão intra-abdominal, esta força pode causar mais separação dos retos, e respectivamente piorar a diástase ou ocasionar uma hérnia. Por isso, é importante monitorar diástase (e a hérnia, se houver) antes de prescrever qualquer exercício. Exercícios abdominais inadequados incluem sit ups, straight leg raise, movimentos de Pilates como Hundred e, especialmente, as atividades rotação do tronco, como Criss cross e Roll-ups (modificados) que têm como alvo os oblíquos, podendo esticar os músculos abdominais em excesso. Estratégias ideais para transferência de força irão equilibrar o controle de movimento, mantendo os eixos comuns ideais, mantendo a pressão intra-abdominal suficiente, sem comprometer os órgãos (preservar a continência, prevenir o prolapso ou hérnia) e apoiar a respiração eficiente. Estratégias não-ideais para a postura, movimento ou respiração criam falhas na transferência de forças que podem levar à dor, incontinência ou distúrbios respiratórios. Uma fraqueza nos músculos do núcleo contribui para a força de fechamento insuficiente da articulação sacro-ilíaca levando à instabilidade pélvica, que pode eventualmente causar dor lombar e no quadril. No cenário de um pior caso, essa separação dos retos pode resultar em uma hérnia. Assim, uma vez que a diástase é identificada, o paciente é convidado a marcar uma consulta inicial com o Fisioterapeuta e iniciar o tratamento o quanto antes. Isso nos mostra que não é qualquer profissional que está preparado para lidar com a diástase, valendo para professores de Pilates, Educadores físicos e Fisioterapeutas. Por isso, é necessário muito estudo quando se trata de casos como esse, é importante a capacitação constante e muita dedicação. Para ajudar os profissionais a lidar melhor com as mamães durante e depois da gravidez Clinicamente, o bom cumprimento do programa e início precoce do tratamento pode também ajudar na recuperação. Portanto, medidas profiláticas, como a rotina de triagem e identificação da diástase e posterior cuidados a todas as mães durante a gravidez e no pós-parto imediato pode ser benéfico no longo prazo. Fonte: http://revistapilates.com.br/2015/01/14/diastase-reto-abdominal-e-pilates/

DEPOIMENTO

"Já conhecia a qualidade dos cursos através de colegas, e esse era um curso em que eu estava interessada. O fato de ser online também me ajudou, pois não tenho disponibilidade de tempo para cursos presenciais."
Thaísa Cotto Bertolini, Limeira - SP

CONHEÇA NOSSOS CURSOS