Alongamento diminui ansiedade, estresse e depressão


Alongamentos são exercícios físicos para desenvolver ou manter a flexibilidade, que por sua vez é definida como amplitude máxima numa determinada articulação, sem que ocorra lesão. Os alongamentos devem ser feitos com consciência e orientação profissional, pois apresentam funções específicas, como redução de encurtamentos musculares; melhora da circulação; melhora da postura; diminuição das tensões; redução de nódulos musculares que provocam dores e outras. O alongamento produz um estado de relaxamento importante para diminuir a tensão muscular que aumenta com a ansiedade, o estresse e a depressão. É muito comum utilizarmos o alongamento para se aquecer antes de uma atividade mais intensa, ou para relaxar a musculatura trabalhada, após os exercícios. Os dois momentos estão certos. Verifique o seu objetivo e siga então algumas sugestões para os treinos de alongamento ou para os de flexibilidade. alongamento Como fazer alongamentos - Inicie sempre com alongamentos de leve tensão e progrida gradativamente; - Se estiver frio, você pode optar por começar com uma atividade cíclica - exemplos: caminhada, trote, corrida leve - o que vai aumentar a circulação, para depois alongar-se (uma vez que a temperatura nas extremidades é sempre mais baixa que a temperatura central corporal); - Tente trabalhar sempre o maior número de ângulos das articulações; - Os alongamentos devem ser feitos com frequência, todos os dias se possível, como prevenção do encurtamento muscular, dores no corpo e problemas posturais; - Podem ser feitos a qualquer hora, porém de manhã, ajuda a 'despertar' o corpo para as atividades do dia; - Qualquer pessoa de qualquer idade, se beneficia com os alongamentos, desde que respeitadas as características de cada indivíduo ao montar o programa, porém os progressos serão maiores em pessoas ativas, comparando-se com as sedentárias; - Um treino de alongamento para ganho de flexibilidade deve ser feito em sessões específicas, por um tempo maior, de preferência alternando com treinos exaustivos (caso haja); - Não espere nem tente desenvolver flexibilidade de uma hora para outra; - Converse com o professor, para intercalar com sessões de consciência corporal; - Dê prioridade à conscientização e ajuste das posturas, para depois aumentar a amplitude dos movimentos; - Aprenda a relaxar, sem sair da postura correta, respire profunda e lentamente concentrando-se no músculo que está sendo alongado. No começo de um programa de flexibilidade, é comum uma dor tardia (até o dia seguinte), mas não muito forte ou incapacitante. Ela pode se manter por 24 a 36 horas e depois ir diminuindo e desaparecer, permitindo assim outra sessão de alongamento. Se a dor perdura por mais dias, é provável que tenha ocorrido lesões por excesso de tensão na tentativa de alcançar altos índices de flexibilidade. Assim será necessário um tempo maior para regeneração do tecido. Deve-se então observar o programa de alongamento e caso necessário, modificar os exercícios, identificando os pontos de dor e as características de cada um. Fonte: http://www2.uol.com.br/vyaestelar/alongamento.htm

DEPOIMENTO

"Eu decidi realizar o curso devido à praticidade, facilidade de utilização e aprendizagem do conteúdo."
Michele Funck Piccoli, Santana de Parnaíba - SP

CONHEÇA NOSSOS CURSOS